Guia completo sobre marketing de relacionamento | Tec Mobile
guiacompletosobremarketingderelacionamento
Por Tec Mobile Tempo de Leitura: 7 minutos

 

A partir da globalização da Internet e o advento do marketing digital, a jornada de compra ganhou uma estrutura nova e dinâmica. Por esses motivos, uma campanha de marketing que se atenha, hoje, apenas à exposição das qualidades de um produto, não surte o mesmo efeito e pode ser até mesmo prejudicial a uma marca ou empreendimento.

É nesse contexto que o marketing de relacionamentos cresce em importância e se transforma em um elemento vital. Ele atua como uma forma complementar do marketing tradicional. Seu objetivo principal é estabelecer uma conexão com o público-alvo e construir um networking sólido e orgânico.

Ao fazê-lo, o marketing de relacionamentos contribui para que a jornada do cliente seja respeitada em todas as suas etapas. Digamos que a função do marketing de relacionamentos é evitar que uma marca ou produto seja tão insistente quanto a famigerada “TekPix”.

Portanto, trata-se de uma estratégia fundamental para a geração de leads, educação do público, para a consolidação de autoridade, para a conversão e, é claro, para o tão desejado aumento das vendas. Continue conosco e conheça tudo que um marketing de relacionamento de sucesso precisa ter e como implementá-lo hoje em seu negócio!

O que é marketing de relacionamento?

Como íamos dizendo, o marketing de relacionamento trata-se de uma estratégia complementar da publicidade tradicional, cujo objetivo é construir uma presença amistosa e dedicada junto à audiência. Sem esquivar-se, contudo, dos processos de consciência da buyer persona em questão.

Nesse sentido, seu objetivo direto não é vender ou levar o cliente à tomada de decisão final, isto é, a comprar. Mas, sim, atrair o potencial cliente — o lead — para os seguintes estágios do funil de vendas:

  1.  educá-lo e encaminhá-lo em direção ao reconhecimento de um problema;
  2. em seguida, inseri-lo em considerações pertinentes quanto à solução e satisfação dos próprios desejos;
  3. por fim, oferecer a ele o produto que traz todos os benefícios e as soluções para as dores que ele sente.

Em resumo, o marketing de relacionamentos é uma combinação efetiva com a forma tradicional de marketing. Mas, com a diferença de que ele compreende como um bom relacionamento com a audiência pode ser decisivo não apenas na confirmação de uma compra, mas também na capacidade de manter a fidelidade daquela.

Portanto, um planejamento de marketing de sucesso não abre mão dessa estratégia na hora de educar e auxiliar a audiência a identificar um problema e procurar, em seguida, por uma maneira de como resolvê-lo.

A partir disso, o público é estimulado a engajar e, como consequência dessa ação, a autoridade de uma marca ou empresa é alavancada. De resto, é só aguardar as conversões, porque elas virão com toda certeza!

Como aplicar o marketing de relacionamento em uma empresa?

Há diversas maneiras de aplicar uma estrutura de marketing de relacionamentos. E todas elas devem funcionar em conjunto. Construir uma autoridade trata-se disso: seja qual for a trajetória da buyer persona, a sua empresa ou marca estará lá, em todas as etapas e veículos, para auxiliá-la a superar as próprias dores.

Os meios mais tradicionais de contato com o público são os totens, caixas de sugestões e questionários, físicos ou por e-mail. Ao criar espaço para a clientela se manifestar a respeito do serviço ou mercadoria, você atrai e demonstra que a opinião do cliente importa.

Isso tem um efeito extremamente positivo, pois evita a possibilidade de sentimento de impotência do público, ao mesmo tempo em que estimula um sentimento de pertença em relação à marca. Um case de sucesso, por exemplo, é a Apple. Essa multinacional, fundada em 1976, na Califórnia, não tem clientes, mas “applefans” — tamanho o sentimento de comunidade criado ao longo do tempo.

Gostaria de aprender mais sobre marketing de relacionamento na era digital? Confira os próximos tópicos e saiba como implementar esse mecanismo em eventos.

Como implementá-lo em eventos?

A divulgação de data, hora e atrações de um evento não é suficiente, sobretudo quando as possibilidades de alcance são muito maiores. Afinal, toda pessoa tem um celular ao alcance das mãos.

Após identificar quais os objetivos do evento, qual o público-alvo e, especialmente, quais os retornos ele prometerá ao público, o próximo passo é colocar a mão na massa. Veja a seguir.

Planejamento

Nós não podemos ser mais insistentes nesse ponto: planejar é fundamental para o sucesso na produção de eventos! Pesquise os interesses da sua audiência, confira como a concorrência tem agido para, em seguida, ver quais as possibilidades de tema, as atrações pertinentes, as oportunidades de mercado e quais estratégias adotar. Feito isso, é hora de implementar!

Divulgação nas redes sociais

Hoje, as redes sociais são as ferramentas mais poderosas para a divulgação de um evento. Invista em lives, infográficos no feed, anúncios por meio de tráfego pago e considere o envio de press kits a influenciadores que pertençam ao nicho em que a marca ou produto esteja inserido.

Criação de conteúdo

Outro recurso indispensável é a produção de conteúdo para web. Além das redes sociais, estruture um blog ou uma página na qual a audiência possa se orientar por meio de blogposts, infográficos, vídeos, newsletter, e-books, podcasts, webinars e outros materiais.

Como você pode perceber, as possibilidades são muitas e há um enorme espaço para criatividade e atuação! Ainda em dúvida? Confira, então, como o marketing de relacionamento contribui com a captura de clientes.

Como ele auxilia na captação de leads?

A essa altura é importante entender como o marketing de relacionamentos é primordial na captura de leads. Ele permite que o perfil da audiência fique mais claro e detalhado. Munido com esses dados, elaborar estratégias acertadas fica mais fácil e os investimentos são mais bem aproveitados.

Por perfil de audiência, queremos dizer a idade, o sexo, os interesses, os problemas, as dores, desejos, profissão e toda característica que compõem um banco de dados rico em informações sobre as pessoas que você deseja alcançar. É muito mais prático se posicionar e escolher as palavras que dizer quando sabemos com quem estamos falando, não é mesmo?

Para isso, há diversos instrumentos capazes de incentivar o público a compartilhar de maneira espontânea essas informações. Não é incrível? O próprio público te dirá quem ele é, o que ele espera e quais os problemas que ele enfrenta!

É possível conseguir essas informações por meio de um questionário via stories ou site, a assinatura de uma newsletter, que contribui para a construção de um banco de e-mails, uma caixa de comentários ou a produção de conteúdos, como e-books, manuais, guias e planners.

Agora que você sabe quem é o público, implementou a captura e os leads já estão ingressando no banco de dados da empresa, o próximo passo é entregar aquilo que você prometeu.

Como o marketing de relacionamentos ajuda a nutrir os leads por e-mail?

O processo de conversão e de consolidação de autoridade não termina na captura de leads. A etapa seguinte é a nutrição deles. Ou seja, é necessário que o público receba conteúdo que tenha valor e que alimente o interesse em relação à marca, empresa ou oferta.

Uma maneira de manter a audiência interessada é a produção de conteúdos para e-mails. Uma das categorias desse material são as newsletter. As newsletter são responsáveis por trazer informações e novidades aos clientes acerca de uma área de conhecimento, de uma oportunidade, de uma situação do mercado ou, é claro, de um evento que se aproxima.

A newsletter é uma forma sutil, mútua e espontânea de manter contato direto com a sua audiência. Uma ou duas vezes por semana — é bom não exagerar — todo cliente pode ouvir diretamente da empresa aquilo que você desejar. É uma forma privilegiada de construção de autoridade e de conquista de conversões.

Por meio das newsletters, a distribuição de materiais importantes para educação do público se torna mais eficiente. Ao final de cada uma delas, é possível oferecer conteúdos gratuitos que são, inclusive, mais aprofundados, como os e-books. De modo a prosseguir na escalada da jornada de compra do público.

Quais as principais vantagens dessa estratégia?

Em primeiro lugar, não há desvantagens nessa estratégia. O negócio que não investe em marketing de relacionamento está perdendo para a concorrência. Simples assim! Hoje, mais do que nunca, as pessoas procuram por empresas que ofereçam experiência e não apenas mercadorias.

Elas desejam ser compreendidas e sentir que fazem parte de algo maior, ao passo que empresas que vão “direto ao que interessa” tendem a gerar uma taxa importante de rejeição no público. Portanto, quando o assunto é marketing de relacionamento o cenário é apenas esse: abrace-o ou fique para trás.

Agora, podemos passar para as vantagens incríveis dessa estratégia de marketing e seus objetivos. Ao ganhar autoridade, estimular o interesse, conquistar o engajamento e fidelizar os leads ao ponto de transformá-los em clientes, a próxima etapa é lucrar. Porque é sobre isso que as vantagens do marketing de relacionamento dizem respeito. Veja cada uma delas a seguir!

Interação direta e clara com os clientes

Não se trata de atender bem, mas de levar o cliente à sensação de imersão. Fazê-lo se sentir exclusivo e único ao ter acesso ao benefício ou oportunidade que a empresa oferece a ele. A vantagem, nesse sentido, é arquitetar uma imagem de diferencial.

Aprimoramento do funil de vendas

Como dissemos, quando o marketing de relacionamento fica para segundo plano ou nem sequer é aplicado, as duas primeiras etapas do funil de vendas, atração e consideração, são completamente ignoradas. Com isso, a taxa de rejeição têm valores significativos, pois uma parcela do público percebe que a única coisa que importa é em que momento ele tirará a mão do bolso.

Contudo, com o marketing de relacionamento as etapas iniciais do funil se tornam mais relevantes, sutis e eficientes. De tal forma, que quando um lead é convertido em cliente, a única impressão que ele carrega é que é exatamente ali onde ele queria estar. Não há, enfim, qualquer movimento ou ação brusca e seu cliente não tem a sensação de que aquele caminhão de abacaxi está passando no meio da tela do celular dele.

Aumento da fidelidade

Quando o cliente tem a impressão de que ele está ali na condição d