Descubra 8 maneiras de validar ideias inovadoras de negócio | Tec Mobile
A imagem contém 6 lâmpadas em 6 mãos de diferentes pessoas
Por Tec Mobile Tempo de Leitura: 6 minutos

 

Em poucas palavras, validar ideias inovadoras de negócio é o mesmo que colocá-las à prova nos campos teórico e prático por meio de metodologias que auxiliem no levantamento de questões realmente importantes. Isso, é claro, é feito sempre com o amparo de ferramentas de tecnologia capazes de tornar tudo muito mais fácil, seguro e organizado.

Durante o processo de validação, a compreensão da nova ideia se expande entre outros interessados, que podem complementar o pensamento original. Essas pessoas podem, inclusive, virar parceiras investidoras em um futuro negócio, caso, desde já, ele apresente indícios de que pode ser promissor lá na frente.

Portanto, se você tem ideias inovadoras de negócio ou convive perto de alguém que as tem, continue acompanhando este post para conhecer 8 dicas de como saber acertar na hora de começar a investir nelas!

O que é a validação de ideias inovadoras de negócio?

A transformação digital acelerou o ritmo de mudanças na economia. No cenário atual, muitas empresas precisam atualizar rapidamente os seus planos de ação para se manterem dentro das expectativas dos seus clientes. Isso é feito a partir de uma análise contínua de tendências e dos produtos existentes.

Nesse sentido, a validação de ideias inovadoras deve fazer parte dos projetos da sua empresa. Essa prática garante que as equipes conseguirão aplicar, testar e moldar iniciativas disruptivas e, com isso, manter a marca a frente da concorrência. Como consequência, a cultura do ambiente corporativo será orientada por inovação, com todos os times sempre dispostos a buscarem meios mais inteligentes de atingirem as suas metas.

Como validar ideias inovadoras?

a imagem contém uma pessoa utilizando um notebook com uma lâmpada acesa na mão esquerda

Tão importante quanto ter um ambiente propenso à testagem de novas ideias é a criação de um fluxo de trabalho que permita identificar aquelas com maior potencial. Isso dará maior retorno ao dinheiro investido em projetos disruptivos e, com isso, reduzirá riscos. Confira a seguir alguns passos que podem ser dados com esse fim!

1. Analise se as ideias inovadoras devem mesmo virar um negócio

A análise 360º permite uma investigação estratégica e criteriosa, antes de a ideia ser transformada em um negócio propriamente. Assim, tanto o empreendedor experiente quanto o novato são guiados a analisar os aspectos mais relevantes da nova ideia, a fim de saber quais são prioritários e, de fato, representam oportunidades lucrativas.

Em linhas gerais, a metodologia é aplicada em duas etapas para cada ideia. Primeiramente, é avaliado como o mercado receberá o novo produto (aspectos externos da ideia), depois, como o perfil do empreendedor se adequará ao novo desafio, em curto, médio e longo prazos (aspectos internos).

No gráfico da análise 360º, são apontadas respostas para diversas questões. Algumas como “o negócio resolverá o problema de muita gente?”, “pessoas estariam dispostas a pagar pela solução?”, “o negócio em si tem a ver com as paixões pessoais do empreendedor?” etc. Por fim, as informações levantadas servem como um guia para reflexão e ação, se for o caso.

2. Trace um mapa de público versus produto

Para isso é usado o mapa de empatia, que possibilita o empreendedor entender melhor os sentimentos e os interesses pessoais de determinado público-alvo, além de compreender o que ele deseja. Essa análise é feita para desenvolver ou aperfeiçoar produtos, bem como prestar atendimentos personalizados.

Com base em informações reais ou fictícias sobre o que clientes ideais pensam, sentem, ouvem, veem, falam e fazem, o mapa de empatia, depois de preenchido, apresenta um esboço sobre quais são as necessidades deles. É possível conhecer seus medos, frustrações, obstáculos, hobbies, objetivos etc.

Após o mapeamento de informações, é possível compartilhar os resultados com outras pessoas na intenção de ter novos insights, aprofundar a compreensão sobre o público-alvo e obter inspiração sobre a maneira mais lucrativa de atendê-lo comercialmente.

3. Defina um plano de negócio em pirâmide

O plano de negócio em pirâmide serve, principalmente, como oportunidade de aprendizado para o empreendedor iniciante. Ele o ajuda a enxergar o próprio negócio por meio de uma visão macro, sistêmica, em que todas as áreas estão integradas entre si.

O termo pirâmide se dá porque a metodologia organiza as áreas que compõem um novo negócio como se elas estivessem apoiadas umas sobre as outras, em forma de torre de cartas de baralho, sendo um triângulo no topo, dois no meio e três na base.

Figurativamente, depois de pronta a pirâmide de cartas com três andares sobrepostos, nela podem ser vistos nove triângulos (seis em pé e três de ponta cabeça). Cada um deles faz parte da estrutura de sustentação da pirâmide, conforme as áreas descritas a seguir:

  1. finanças;
  2. recursos humanos;
  3. produção e operações;
  4. marketing e vendas;
  5. empresa;
  6. indústria e concorrência;
  7. oportunidade;
  8. produto ou serviço;
  9. mercado consumidor.

A ferramenta traz um guia de gestão que leva em conta objetivos gerais do negócio, assim como indicadores e metas. O uso desse recurso metodológico para validação de ideias inovadoras faz com que a compreensão do empreendedor seja ampliada de forma estratégica.

Com isso, questões simplórias do tipo “como vender mais produtos?” são substituídas por “como aumentar o bem-estar das pessoas com aquilo que tenho a oferecer?”, e assim por diante.

4. Aplique pesquisas de mercado

Esse é outro recurso muito usado para validação de ideias inovadoras, à medida em que ouvir atentamente e registrar as impressões dos possíveis consumidores de um novo produto esclarecem dúvidas e dão direcionamentos certeiros para tomadas de decisão.

A pesquisa de mercado, inclusive, pode ajudar a extrair informações sobre os concorrentes e, assim, poupar esforços tanto no planejamento quanto nos investimentos, no momento de colocar a ideia em prática.

Ao planejar uma pesquisa de mercado para validação de ideias de negócio, entre outros aspectos, é importante atentar para o tamanho da pesquisa. Ou seja, pense bem em quantas perguntas terão de ser respondidas para não tornar o questionário maçante e fazer com que entrevistados respondam às questões com pressa.

Vale destacar, ainda, a eficiência de pesquisas de mercado realizadas via tablets — em vez dos tradicionais papel, caneta e prancheta. Dessa maneira, é possível ter mais agilidade no tratamento de dados e na apuração de resultados, sem falar na segurança da informação, que torna a pesquisa muito mais confiável.

5. Estude canais de venda e distribuição

É fundamental conhecer os tipos de canais de distribuição para que seja definido, durante a validação, qual deles funciona melhor com o futuro negócio. Não adianta desenvolver um produto de qualidade e que seja de interesse dos consumidores se houver muitas falhas na entrega da solução apresentada ao mercado.

O produto será distribuído diretamente ao consumidor final, a varejistas ou a distribuidores? Tal questionamento é importante, principalmente, para calcular o preço de comercialização, uma vez que será necessário realizar um cálculo de precificação que também considere as margens de lucro do distribuidor.

Além disso, entender qual opção de distribuição atende melhor o cliente final permite que o empreendedor compare custos e projete a cadeia logística. Esse processo envolve prazos de entrega, condições do ambiente das lojas nas quais será feita a revenda, assim como a situação de armazenamento dos itens.

 6. Analise o risco das ideias

A análise de risco deve ser orientada pelo rastreamento das chances de uma ideia dar errado e causar grande prejuízo para a empresa. Esse prejuízo pode ser pensado por meio da perda de clientes, perda de credibilidade do negócio ou apenas o não retorno sobre o investimento.

Todos esses pontos devem ser considerados pela equipe. Isso garante que o time tenha uma visão completa sobre o que pode afetar a ideia negativamente. Dessa maneira, pensar em mecanismos de prevenção e redução de riscos será muito mais fácil.

7. Use ferramentas de análise de dados

A análise de dados é um ótimo caminho para quem pretende validar ideias e a viabilidade de qualquer iniciativa. Utilizando tecnologias como o Big Data e o Business Intelligence, gestores conseguem ampliar a vi