Segurança de TI para Empresas
segurança de TI
Por Tec Mobile Tempo de Leitura: 7 minutos

 

Nos últimos anos, temos testemunhado uma rápida aceleração na adoção tecnológica em diversos setores e que impacta diretamente a segurança de TI das empresas. 

Esse avanço, impulsionado especialmente pela pandemia, transformou profundamente a maneira como trabalhamos, exigindo uma adaptação às ferramentas digitais para a grande variedade de perfis profissionais e promovendo uma cultura de trabalho remoto e mais flexível.

No entanto, esse movimento em direção à digitalização também traz uma série de desafios para as empresas. 

Tivemos, nos últimos tempos, um aumento significativo na conscientização sobre as normas de segurança cibernética e a conformidade na troca de dados, refletindo a necessidade de garantir a segurança e privacidade das informações.

Diante desse cenário, é crucial que as empresas estejam atentas à importância de investir em segurança digital.

A seguir, vamos explorar mais a fundo quais são esses desafios e apresentar formas de planejar e implementar ações de segurança de TI na sua empresa.

A Moeda de dois lados da transformação digital: riscos e oportunidades

Uma pesquisa realizada pela IDC, que entrevistou 370 organizações de vários setores, revelou um aumento expressivo na base de usuários de internet na América Latina, atingindo 165 milhões de usuários desde a pandemia. 

Esse avanço digital impactou diretamente o crescimento contínuo do comércio eletrônico, mas exigiu também, uma maior conscientização na importância de garantir ambientes seguros para os funcionários e para a própria empresa.

E a pesquisa comprovou essa nova realidade, mostrando que 47% das empresas reconhecem a importância de priorizar a segurança em suas estratégias “Digital First”. 

Estratégia, essa, que destaca a prioridade dada ao uso da tecnologia e meios digitais em todas as áreas da empresa, com o objetivo de proteger suas operações e dados contra ameaças cibernéticas.

Investir em segurança de TI: uma ação essencial

Investir em segurança de TI é algo absolutamente necessário hoje em dia. E, de acordo com a pesquisa da IDC, as empresas estão aumentando seus investimentos em tecnologia para acompanhar as mudanças. 

Os gastos com Serviços de TI e Software cresceram 7% e 10%, respectivamente , acima do esperado para o cenário econômico. 

No Brasil, os investimentos em TI devem crescer 12,9%, muito mais do que o crescimento da economia em geral.

Além disso, até 2027, quase metade das empresas estimam que entre 26% e 49% de sua receita venha de produtos e serviços digitais. 

Esses dados reforçam a noção de que investir em segurança de TI não é apenas uma medida de precaução, mas também uma estratégia crucial para garantir a competitividade e o sucesso no ambiente digital em constante evolução.

Principais riscos de segurança de TI

A adoção da transformação digital traz consigo uma série de benefícios, mas também apresenta desafios significativos relacionados à segurança cibernética. 

Esses desafios abrangem desde a presença de softwares maliciosos até o comprometimento de sistemas por meio de terceiros. Confira alguns exemplos:

  • Malware e Ransomware: Softwares maliciosos que podem criptografar arquivos ou sistemas, exigindo pagamento para liberação.
  • Phishing: Táticas de engenharia social para enganar usuários e obter informações confidenciais.
  • Ataques à cadeia de suprimentos: Comprometimento de sistemas através de terceiros ou fornecedores.
  • Vulnerabilidades em IoT (Internet das Coisas): Dispositivos conectados podem oferecer pontos de entrada para redes corporativas.
  • Ameaças internas: Funcionários ou parceiros que, intencionalmente ou não, causam brechas de segurança.

Melhores práticas para proteger sua empresa

 

Uma das melhores práticas fundamentais é o treinamento e a conscientização dos funcionários

Investir regularmente em programas de educação que destacam os riscos de segurança e promovem boas práticas é essencial. 

Isso não apenas melhora a segurança geral, mas também cria uma cultura de vigilância entre os colaboradores.

Além disso, é crucial implementar políticas de segurança robustas para o trabalho remoto

Com a adoção crescente de modelos de trabalho flexíveis, o uso de VPNs, a autenticação de dois fatores e diretrizes de segurança específicas tornaram-se indispensáveis. 

Essas medidas garantem que as conexões remotas sejam seguras e que os dados da empresa estejam protegidos, independentemente de onde o trabalho esteja sendo realizado.

Manter os sistemas e software atualizados é outra prática chave. As atualizações e patches frequentes são necessários para corrigir vulnerabilidades e falhas de segurança que podem ser exploradas por cibercriminosos. 

Esse processo contínuo de atualização ajuda a fortalecer as defesas da empresa contra ataques externos.

A segurança dos dados não estaria completa sem um sistema confiável de backup e recuperação de dados

Estabelecer rotinas de backup regulares e planos de recuperação de desastres são etapas vitais para garantir que, em caso de ataque cibernético, os dados possam ser recuperados com mínimo prejuízo para as operações empresariais.

Por último, mas não menos importante, realizar avaliações de segurança regulares e ter um plano claro de resposta a incidentes cibernéticos é fundamental. 

As auditorias de segurança ajudam a identificar e mitigar vulnerabilidades antes que sejam exploradas, enquanto um plano de resposta a incidentes garante que a empresa possa reagir de maneira rápida e eficaz a qualquer violação de segurança, minimizando os danos.

Adotando essas práticas, sua empresa não só melhora sua postura de segurança cibernética, mas também estará mais preparada para enfrentar os desafios de segurança em um ambiente digital em constante mudança.

Orientação sobre as principais regulamentações de segurança cibernética

No ambiente digital atual, a segurança de TI tornou-se um elemento crítico para proteger informações sensíveis e manter a confiança dos consumidores e parceiros comerciais. 

À medida que a quantidade de dados gerados e compartilhados online continua a crescer exponencialmente, governos e organizações internacionais têm implementado regulamentações rigorosas para garantir a proteção dessas informações. 

A aderência a estas normas não é apenas uma questão de conformidade legal, mas também um pilar fundamental para construir e manter a reputação empresarial. 

Entre as principais regulamentações de segurança cibernética, destacam-se o GDPR, a LGPD e a ISO/IEC 27001, cada uma abordando diferentes aspectos da segurança da informação e privacidade de dados.

O Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (GDPR) é uma legislação da União Europeia que estabelece diretrizes rigorosas sobre a coleta, armazenamento e uso de dados pessoais de indivíduos dentro da UE. 

O GDPR é conhecido por sua abrangência e por impor pesadas multas a organizações que não cumprem suas normas, enfatizando a importância da transparência, do consentimento do usuário e da proteção de dados desde a concepção.

Similar ao GDPR, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) regula o tratamento de dados pessoais no Brasil. Essa legislação reflete um esforço global para assegurar que os direitos de privacidade sejam respeitados, dando aos indivíduos maior controle sobre seus dados. A LGPD aplica-se a qualquer empresa, independentemente do seu tamanho ou localização geográfica, que processe dados de indivíduos no Brasil.

Por outro lado, a ISO/IEC 27001 é uma norma internacional que define os requisitos para um sistema de gestão de segurança da informação (SGSI). 

Esta norma é aplicável a qualquer tipo de organização, pública ou privada, pequena ou grande, e visa a proteger as informações de forma sistemática e efetiva por meio da adoção de um processo de gestão de risco. 

A certificação ISO/IEC 27001 é amplamente reconhecida mundialmente como um indicador de que a empresa adota práticas rigorosas de segurança da informação.

Para empresas de todos os tamanhos, entender e garantir a conformidade com essas regulamentações é crucial. 

Não só para evitar penalidades financeiras, mas também para reforçar a confiança do consumidor e assegurar uma vantagem competitiva no mercado. 

A conformidade com estas normas demonstra um compromisso com a proteção de dados e a segurança cibernética, elementos cada vez mais valorizados por clientes, parceiros e reguladores no cenário global atual.

Dicas para criar uma cultura de segurança de TI

A construção de uma cultura robusta de segurança de TI é fundamental para qualquer empresa que deseje proteger suas operações, dados e reputação no atual ecossistema digital.